Question Everything .is/listening
Written by Jorge Oliveira / 27.01.2009

A lição dos Python

picture-6

Estes senhores têm sido pródigos a dar boas coisas ao mundo… bons programas de televisão, boas séries, bons delirios, bons filmes e agora… bons exemplos de como os negócios mudaram e as abordagens de abertura trazem mais proveitos que as abordagens fechadas.

Foi noticia em todo o mundo o dia em que decidiram criar o seu próprio canal no YouTube e controlarem os vídeos que disponibilizavam. E porquê?

No more of those crap quality videos you’ve been posting. We’re giving you the real thing – HQ videos delivered straight from our vault.

Ora bem. Nada como o produto original na sua qualidade máxima. Mas também pediram algo em troca.

(…)we want you to click on the links, buy our movies & TV shows and soften our pain and disgust at being ripped off all these years.

É justo. E de tão justo que os fans aderiram e os Python viram as suas vendas de DVD’s e etc crescerem apenas 23,000 % em menos de um ano.

E fizeram-no de forma muito simples. Junto a cada vídeo estava o link directo para o produto na Amazon.

Não é o primeiro exemplo que prova que esta abertura e partilha dos conteúdos dá mais resultados do que a perseguição feroz aos “piratas”. Alguem escrevia outro dia que um “pirata” é um cliente insatisfeito, mal servido, mal atendido e descurado. E esse cliente, já tem hoje alternativas suficientes para não se deixar ficar e contestar onde nos doi mais: no bolso.

Podemos vencê-los? Podemos… mas as formas de luta mudaram.

Recordemos o exemplo dos Radiohead e dos NIN. Albuns gratuitos que se revelaram uma maior fonte de rendimento que os albuns vendidos em loja pelo método tradicional.

Estamos de facto, e de forma cada vez mais evidente, perante um novo paradigma, e apesar de alguns falhanços ou projectos que fecharam portas, outros continuam.

E continuam muito bem!

Follow me!

Tópicos deste artigo