Pixel ID
Question Everything .is/listening
Written by Jorge Oliveira / 03.05.2011

Digital Signage entra no mainstream

Quando alguns temas entram pela porta do Economist é sinal de que se estão a tornar mainstream. E isso pode ser bom.

Especialmente porque coloca as coisas a um nível de proximidade e de realidade necessárias à adoção, expansão e crescimento. O caso do digital signage é um deles.

Acesso facilitado

Há outras razões que ajudam a esta “normalização”, principalmente o acesso mais fácil e barato a soluções de hardware, software e comunicações (leia-se banda larga) que tornam estes projetos mais realistas na instalação e com custos de operação que começam a pôr em causa a continuação dos modelos de distribuição suportados em papel.

De acordo com o artigo, o investimento publicitário nestes meios deve dobrar nos próximos 5 anos. E neste momento já está a crescer mais que os meios tradicionais (tv, rádio, jornais, …). Estarem onde as pessoas estão (nas ruas, nas lojas e nos transportes) será uma razão para este crescimento?

Interactividade

O potencial de interactividade e a facilidade de adequação das mensagens ao local, ao dia e hora e ao público nas proximidades tornam este meio ainda mais interessante e eficaz que os restantes (sem incluir aqui a internet).

A tecnologia resolve qualquer ideia e pode trazer a meios tidos como inactivos e distantes, o potencial de criação de relações que normalmente só pensamos que existem numa rede social. Se um outdoor “falar” comigo, se reagir á minha acção, isso não é um passo para a relação?

Inactividade?

Por outro lado, tardamos em ver reacções adequadas dos meios tradicionais a este ataque do digital: a televisão não dará mais que aquilo que dá hoje? Não existirão novas formas de fazer passar a mensagem sem que ela seja intrusiva, em intervalos enormes que afastam o espectador dos programas? Ainda existe prime-time? As box’s digitais já alteraram a minha forma de ver televisão e confesso que só vejo publicidade por “defeito” profissional.

Os jornais e revistas perdem leitores todos os dias. Só os gratuitos se esforçam e inventam formas diferentes de comunicar as marcas, seja na forma de impressão seja na recuperação moderna do homem-sanduíche.

Valor acrescentado

Juntem-se todas as razões e argumentos e estão encontrados os motivos que levam à instalação de novas redes de ecrãs em aeroportos, estações de metro e de comboio, centros comerciais e até mesmo no espaço exterior, substituindo outdoors e mupis tradicionais, ocupando o espaço que outros deixam livre, acrescentando valor à comunicação das marcas.

Maio é mês de ScreenMedia em Londres e mais uma vez o tema da integração das redes sociais com o digital signage vai estar em grande destaque. Se ainda tem dúvidas sobre o poder das redes, pense duas vezes.

Power to the people

Uma moldura digital pode ser considerada digital signage? É bem possível, só depende da forma como está a ser usada. Mas é o sinal de que o poder da comunicação está nas nossas mãos, que as soluções são mais que a tecnologia e que a imaginação de quem as trabalha pode ser factor crítico de sucesso no projecto.