Question Everything .is/listening
Written by active / 24.06.2014

Um jornal impresso…digital

O título pode soar um pouco a estranho, é verdade. Mas, quando começamos a desconstruir um pouco mais, este tema pode tornar-se num tópico que gera imensas ideias e com imenso “pano para mangas”!

Podemos começar até por aquele tema já bastante falado do impresso vs digital, em que é bastante comum ouvir as pessoas afirmar que o jornalismo impresso está com os dias contados, e muito graças ao surgimento dos social media. Mas não vamos tão longe.

internetinrealtime

De fato, este mundo do Big Data está cheio de informação a uma velocidade impressionante, e não vamos negar que a rapidez e imediatismo dos acontecimentos do mundo digital é bastante compatível com a facilidade que o meio online proporciona a quem lê.

No entanto, são muitas as pessoas que, ainda assim, com todo este pragmatismo, comodidade e rapidez, preferem tomar café e, enquanto saboreiam esse momento, folhear lentamente as páginas de um jornal.

Mas nós não achamos que o impresso e o online devam estar dissociados um do outro. E não somos os únicos a achá-lo. Por isso, propomos uma ideia.

PaperLater

Já ouviu falar no PaperLater? Se ainda não ouviu, esta é a plataforma que lhe permitirá ler as suas histórias favoritas que encontra no mundo digital da Internet, mas impressas num jornal.

O PaperLater é uma nova startup com sede no Reino Unido, que se especializou na criação de jornais personalizados. Basicamente, poderá construir um jornal feito com as suas histórias favoritas a partir da Internet

O PaperLater permite aos usuários guardar o material interessante da internet e tê-lo entregue num jornal personalizado três a cinco dias depois.

PaperLater

Querendo agradar a gregos e a troianos, o PaperLater permite aos utilizadores salvar o material da web e tê-lo entregue num jornal totalmente personalizado, já que os tablets e os dispositivos móveis mudaram radicalmente a maneira como consumimos artigos e notícias.

Para utilizar o serviço, os leitores devem simplesmente clicar no bookmarklet do PaperLater, em “Save for PaperLater”, ao visualizar um artigo online.

Após guardar alguns artigos, se achar que tem bastante artigos salvos, pode clicar para confirmar o seu pedido, altura em que as suas histórias guardadas serão analisadas por algoritmos que desenham e formatam o seu jornal personalizado. Será, então, entregue através de caixa de correio do leitor três a cinco dias de trabalho mais tarde.

Esta é uma óptima ideia para aqueles que procuram o digital, mas que não dispensam o papel. No entanto, esta plataforma poderia ser mais eficaz e prática. E aí está a proposta da ideia que já tínhamos falado atrás.

A ideia

Hoje em dia, temos informação disponível em diversos formatos. E porque não aproveitar alguns deles? É aqui que entram várias propostas e, uma delas, seria a possibilidade de tornar “qualquer” artigo guardado noutro media.

content

Mais especificamente, caso desejasse ouvir o artigo em vez de visualizá-lo, seria possível transformar esses conteúdos guardados em áudio, ou, indo um pouco mais longe, tornar esse mesmo artigo numa peça visual que estivesse disponível no Youtube, por exemplo.

Neste media seria, então, possível agregar comentários para o artigo “convertido”que pudessem ser classificados segundo o seu grau de relevância.

O conteúdo teria, assim, uma vertente opcional de acordo com a audiência, a plataforma ou preferência.

No fundo, o PaperLater poderia ser o início de algo mais personalizado e eclético. A vertente gráfica e temática poderiam ser um trunfo para quem o usufruísse. Nomeadamente, em vez de um simples jornal, poder transformá-lo numa revista que pudesse dispor para uso pessoal ou profissional, tratando dos conteúdos por temas ou áreas que lhe interessassem, bem como da sua curadoria para que outros pudessem comprar.

Esta é uma ideia possível. E por aí, mais ideias? Partilhem connosco 😉