5 sugestões de leitura para o novo ano

Se uma das suas resoluções de ano novo passa por ler mais, então este artigo é para si. Seleccionei cinco livros que podem ser uma boa companhia no ano novo que se avizinha. Quais foram os meus critérios de escolha? São livros que permitem parar e pensar sobre o mundo à nossa volta e sobre a forma como nós nos relacionamos com o mundo.

Pensar, depressa & devagar

Este livro de Daniel Kahneman não é para ler de fio a pavio: é para ir lendo. É um livro estilo Crítica da Razão Pura de Kant, que exige atenção e voltar a ler para compreendermos. Pensar Depressa & Devagar ensina-nos sobre o processo de tomada de decisões, os enviesamentos congnitivos e como é muito fácil errarmos na elaboração dos nossos juízos.

A par deste livro, há outro que consulto frequentemente e que tem este como referência e que se chama A Arte de Pensar com Clareza, de Rolf Dobelli.

Sem fins lucrativos

Martha C. Nussbaum é uma filósofa nascida em 1947 e que conheço muito mal. Decidi começar a minha viagem pelo pensamento desta autora através do livro Sem fins lucrativos – porque precisa a democracia das humanidades. Porquê este livro? Parece-me nos nossos dias tanto a democracia como as humanidades precisam de reflexão.

Afinal o que significa ser um cidadão democrático competente? As humanidades têm um papel a desempenhar na formação desses cidadãos?

Uma história da curiosidade

Antes que me esqueça: espreite A Vida Privada dos Livros na RTP Play – e conhecerá melhor Alberto Manguel, o autor do livro Uma história da curiosidade. Este é um livro que carrega outros livros lá dentro. Tenha cuidado, pois ler esta obra de Manguel poderá aumentar a sua lista de desejos de leitura.

Um dos aspectos mais curiosos deste livro consiste no facto do seu índice ser composto por perguntas!

A arte de viver

Em plena vida pandémica, ler os estóicos pode ser simplesmente salvar-nos a vida. Parece-me razão suficiente para conhecer este texto, A arte de viver, e o seu autor, Epicteto (50–138 d. C.). Epicteto não teve uma vida nada fácil: viveu como escravo e foi banido de Roma, na companhia de outros filósofos. Uma vez liberto da escravidão acabou por fundar uma escola. O seu pensamento chega-nos através de Arriano que publicou livros com os seus discursos.

O pensamento deste escravo influenciou bastante Marco Aurélio que viria a tornar-se imperador e autor das Meditações (outro livro de referência do estoicismo cuja leitura recomendo).

As notícias

Alain de Botton é sobejamente conhecido pelo projecto The School of Life. No livro As notícias: um manual de utilização, o autor nascido em Zurique convoca-nos a reflectir sobre o papel das notícias na nossa vida. Quais as razões para que sejam tão mais fácil partilharmos notícias trágicas em vez de notícias positivas? O que nos fascina nas notícias das celebridades?

Este livro de Botton apresenta-se como um manual para navegarmos no mundo das notícias com mais discernimento e, digo eu, menos sofrimento.

*

Lembre-se: pode comprar o livro mas também pode requisitar numa biblioteca municipal. Alguns dos livros têm a versão ebook que pode ser mais em conta. Também poderá comprar os livros a meias com um amigo ou uma amiga e partilhar a leitura. Quem sabe não acontece assim o início de um Clube de Leitura?

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top