A saúde mental é mais do que um trending topic

A pandemia #covid19 trouxe para o centro das conversas a questão da saúde mental. Os confinamentos e as outras regras que restringiram a nossa forma de estar com os outros, nas esferas pessoal e profissional, criaram ou intensificaram sinais de que a nossa saúde mental deve ser tida em conta como uma prioridade.

Ainda estamos longe de saber até quando iremos sentir os efeitos da vida pandémica: “O impacto da incerteza, da morbimortalidade da Covid-19 e das medidas associadas ao combate (distanciamento, isolamento, confinamento) ir-nos-á acompanhar por muitos anos. Temos de estar atentos, preparar-nos e responder da melhor forma possível.”, avançou Bernardo Gomes (MD Public Health) na edição 42 do #twitterchatpt, em Novembro de 2020.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) tem vindo a partilhar estudos e também estratégias para nos ajudar a lidar com as questões da saúde mental, com o cuidado de se dirigir para os mais diferentes públicos (por exemplo, crianças, jovens e adultos).

Se alguns de nós tiveram a possibilidade de trabalhar a partir de casa, outros não tiveram sequer essa hipótese, pois o trabalho que desenvolvem não permite o trabalho remoto.

Nem tudo foi mau para todas as pessoas: houve quem mudasse hábitos ou rotinas ou começasse a dar valor a outros aspectos da sua vida.

Num artigo de opinião, João Gomes de Almeida aponta 5 coisas boas que derivaram da pandemia: o teletrabalho, a transformação digital, a diversificação dos negócios, uma nova perspectiva sobre a vida e a incerteza. Cada um destes aspectos indicados como bons ou positivos pode muito bem ter constituído momentos de elevado stress e de desconforto ao nível da saúde mental para uma boa parte das pessoas. O contexto de cada pessoa terá sido fundamental para o elencar de elementos positivos e/ou negativos da vida pandémica, sobretudo nos momentos de confinamento. Não estivemos nem estamos todos no mesmo barco.

A saúde mental, o trabalho e a vida

Equilibrar as várias partes que fazem parte do todo que é a nossa vida pode ser muito desafiante. Diria mesmo, é desafiante.

Os desafios são diferentes ao longo da nossa vida e dos (per)cursos que esta vai tomando. O trabalho ocupa uma parte significativa da nossa vida e nem sempre o contexto laboral favorece o cuidado em torno da saúde mental. Ainda que a etimologia da palavra trabalho remeta para instrumentos de tortura, a verdade é que não tem de ser assim – arrisco a dizer: não pode ser assim.

 Teresa Espassandim, psicóloga e psicoterapeuta com especialização em Psicologia Vocacional e do Desenvolvimento da Carreira, corrobora que um ambiente de trabalho favorável a uma boa saúde mental “é aquele em que todos os membros da organização – empregadores, gestores e colaboradores – cooperam, com vista ao melhoramento contínuo dos processos de proteção e promoção da saúde, da segurança e do bem-estar”.

Vida Sustentável

É possível prevenir situações de burnout – ouvir histórias contadas na primeira pessoa pode ajudar-nos a reconhecer o que sentimos e a ter motivação para da um passo no sentido do cuidado à saúde mental.

A saúde mental é mais do que um trending topic 3
📷 Marcel Strauß / Unsplash

Cuidar da saúde mental

Talvez já tenha encontrado artigos com sugestões e respostas ao “como cuidar da saúde mental”. Este tema tornou-se um trending topic nos últimos anos, ainda que seja mais do que um trending topic. Trata-se de uma questão de saúde que pode afectar qualquer uma das pessoas que lê este artigo, quando menos se espera.

Eis algumas sugestões para que possa cuidar da sua saúde mental. Esteja atenta/o e lembre-se que poderá pedir ajuda – a amigos, à família, aos colegas ou através do SNS.

🚶‍♀️ Beber água e ter uma alimentação cuidada são as duas primeiras sugestões no sentido de cuidar da saúde no seu todo, mental e física. A actividade física também é fundamental – e note que não tem de inscrever-se no ginásio, pode optar por caminhadas, por exemplo. Não tem de ser uma caminhada longa, de 1h, que exija uma grande logística: considere caminhar durante quinze minutos de manhã, outros quinze minutos à tarde já fazem a diferença e pode aproveitar para dar umas voltas ao quarteirão – e quem sabe conhecer a vizinhança.

🗓 Apostar numa agenda que inclua pausas no nosso tempo de trabalho será fundamental para que não nos sintamos assoberbadas e/ou perdidas. Não nos podemos iludir com a ideia de que trabalhar 3h seguidas é muito produtivo: o nosso cérebro precisa de descanso, de “respirar”, alternando entre um modo focado e um modo difuso.

😴 Não despreze as horas de sono e procure dormir bem. A Associação Nuvem Vitória tem feito um trabalho importante de divulgação da temática do sono e partilha neste website algumas sugestões que podem ajudar a conhecer melhor o sono e a sua importância.

💡 Cuidar da saúde mental também passa pelo desafio de fazer algo novo. Desta forma, aumenta o seu repertório, diverte-se, erra, faz de novo e pelo meio aprende algo.

👂 De acordo com Bernardo Gomes, partilhar a nossa história ou ler as histórias de outras pessoas é uma forma de quebrar o estigma, de criar empatia e também, nalguns casos, de cicatrizar. As redes sociais também podem ajudar nesse processo (e tal como tantas outras coisas na nossa vida, devem ser consumidas com moderação).

*

Nota: este texto não foi redigido por especialistas em saúde mental. Se está a passar por momentos de dificuldade em termos de saúde mental, considere pedir ajuda: 🧩 aconselhamento psicológico SNS24

*

👉 Sugestões de leitura e/ou de escuta:

🧩 #twitterchatpt 34 #covid19pt e saúde mental, com Pedro Morgado

🧩 Saúde mental na nova era do trabalho: o equilíbrio é possível?

🧩 ep. 36 Um Sobre Zero sobre telemedicina e saúde mental

Photo by Verne Ho on Unsplash

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top