CV & boas práticas

A pergunta que deu o mote para este artigo é comum nalguns meios: com tanto perfil de rede social, com tanta plataforma para alojar portefólio, será que ainda tem sentido falar em cv (curriculum vitae)? E em cartas de apresentação?
Sim, ainda tem sentido, pois são muitos os anúncios de recrutamento que o exigem. Se os recrutadores fazem uma leitura atenta do cv e da carta de apresentação… bom, isso já é outra pergunta e outra reflexão a fazer.

Para já, gostaria de partilhar consigo aquilo que podemos chamar como boas práticas na construção de um cv. Estas sugestões devem ser sempre ajustadas ao recrutamento ao qual estamos a dar resposta e à cultura da empresa à qual estamos a candidatar-nos. Posto isto, vamos às boas práticas?

Clareza e distinção

Seja na forma ou no conteúdo, o cv deve ser claro e de fácil acesso a quem a acede ao documento. Recorde-se que está a comunicar o seu percurso académico e profissional a quem não o conhece. Faça uso de uma linguagem simples, usando frases curtas.
Convém evitar um tipo de letra de difícil leitura ou demasiados efeitos no formato. Em termos de formato, o Canva tem algumas sugestões que podem ser adaptadas e modificadas. Lembre-se: menos é mais e isto aplica-se ao conteúdo do cv e também ao número de páginas.

Dedique um cuidado especial à revisão do cv de forma a evitar erros ortográficos e gramaticais. Se possível, peça a alguém para fazer a revisão do documento, nomeadamente do texto.

Dados pessoais e fotografia

Dúvida comum: devo colocar fotografia no cv? E que informação pessoal deve constar? Neste último ponto a recomendação vai no sentido de nos fixarmos no essencial: nome, localidade e contacto (e-mail e telefone). Informações como a data de nascimento ou morada completa podem não ter sentido nesta fase. Quanto ao e-mail, cuidado com os [email protected] e considere a possibilidade de criar um e-mail também ele de fácil leitura e com dados menos pessoais (um 82 no e-mail é indicador de ano de nascimento?).

O cv poderá incluir uma fotografia adequada: se estiver a candidatar-se ao cargo de auxiliar de veterinária, talvez tenha sentido colocar uma fotografia sua com animais. Se estivermos a falar de uma candidatura para técnico de marketing, tem sentido colocar a fotografia que tem no seu linkedin e que se espera que seja profissional, com boa leitura e sóbria.

CV e informação relevante

As datas de início e de término de funções são elementos relevantes para os recrutadores, assim como o número de horas e nomes das entidades onde realizou formação. Poderá fazer a diferença a indicação de um dado projecto no qual participou a propósito da função X ou Y. Neste ponto evite exagerar e mencionar TODOS os projectos nos quais participou e foque-se naqueles que se alinham com a função ou a cultura da empresa.

Algumas notas sobre a escrita

Neste campo as recomendações vão no sentido de evitar os verbos no infinitivo que dão ênfase à tarefa (exemplo: analisar dados) e optar pelo “analisei dados e elaborei relatórios” ou “redigi artigos sobre saúde” ou em alternativa dizer o mesmo usando substantivos “análise de dados e elaboração de relatórios” ou “redacção de artigos sobre saúde”.

CV & boas práticas 3
Photo by Slava on Unsplash

Princípio da honestidade

Nos dias que correm é fácil verificar informação e confirmar se aquilo que consta no cv corresponde ao nosso percurso ou não. Há redes sociais online e as redes sociais offline (há sempre alguém que conhece alguém naquela empresa ou naquela universidade). Se é fácil criar o cv maravilha com informação meio mascarada e “exagerada”, também será fácil tirar a informação a limpo. Opte pela honestidade. Mesmo que considere que as suas habilitações são aquém do pedido e se acha que pode acrescentar valor à empresa, aproveite e carta (ou e-mail) de apresentação para essa argumentação.

Não vale é dizer que foi director – quando na verdade foi só um estágio.

Um cv ou vários cvs?

O cv deverá ser adaptado e revisto para o lugar ao qual se está a candidatar. Por exemplo, tenho formação académica em filosofia para crianças, porém isso não é relevante quando me candidato ao lugar de digital strategist. Para este lugar eu vou destacar a formação e a experiência que apresentam ligações com as questões associadas ao trabalho de um estratega. Na minha prática opto por construir um cv “à medida” do lugar, tendo como referência a informação que tenho no linkedin, pois sei que possivelmente as pessoas irão procurar-me por lá.

Photo by Marten Newhall on Unsplash

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top