Um post livre… ou o mais livre que pode ser

duas flores secas em fundo branco com uma tintagem de roxo

Já começa a ser recorrente a vontade de escrever um post sobre algo e no momento em que meto mãos ao teclado sou “impedido” por um conjunto de pensamentos que nos norteiam a escrita aos dias de hoje.

Mas porquê? Para quem? E tem propósito? Qual o objectivo final.

Porque sim, para mim e mais quem queira ler, nenhum em especial, a não ser o de despejar bolsos mentais.

É isto.

Basicamente sinto saudades dos tempos em que se escrevia porque sim e pelo prazer que isso nos dava. Pela antecipação do prazer do leitor que a seguir nos ia ler e comentar.

E isso leva-me a pensar se não é exactamente isso que está a fazer falta. Quando fazemos uma pesquisa por um qualquer assunto e começamos a encontrar artigos todos estruturados da mesma forma, com as mesmas respostas e os mesmos argumentos… que diferença faz ler um ou outro?

Saber escrever para a comunicação digital é importante, mas é cada vez mais uma prisão.

E então?

Hoje não quero saber e por isso seguem alguns tópicos de coisas que me andam a deambular no cerebro sem terem ainda encontrado a sua porta de saída.

Redes Sociais?

Já não é o primeiro nem vai ser o último post que vejo a questionar o papel das redes sociais. Será que ainda são sociais? Ainda são redes? Ainda são a conexão entre pessoas? De partilha de conhecimento? Para que servem afinal? Ainda servem?

É uma enorme dúvida, e para quem passou de evangelista das redes a “gajo que várias vezes passou com o rato por cima do botão de apagar conta”… acreditem que é mesmo grande.

Energia

Do ponto anterior segue este. Tenho dedicado algum tempo ao tema do Sustainable Web Design e ao impacto que isso pode ter nos nossos consumos de energia. Cada vez temos mais app’s, sites, blogs, redes, … e aos dias de hoje o consumo de energia de todo o universo digital já é largamente superior ao de muitos paises no mundo. É pesquisar e encontrar a informação, hoje não me apetece fazer links. Ah… outro tópico.

E vai daí… quando nos andamos todos a preocupar com o futuro do planeta, já olhámos para a energia que gastamos sempre que usamos alguma plataforma de forma assim parva, vá?

Haverá uma app que calcule a energia que aquele scroll infinito por um qualquer feed de lixo gerou? Não sou inocente, também os faço e bem. Mas começo a questionar a sua validade e a minha responsabilidade.

Já se questionaram que o facto de terem um site pesado e lento está a desperdiçar energia?

Links ou a sua ausência

Sim, disse ali em cima que hoje não faço links, não me apetece. Mas continuo a ter uma irritação permanente por sites de informação que não os fazem com medo de me perderem.

News flash: não há melhor forma de me perderem. A essa gente deixo apenas uma dica. Sublinhem uma qualquer expressão no vosso artigo, botão direito do rato, Search Google for “aquilo que sublinharam”. Ahhh tás a gozar? As pessoas podem fazer isso??? E muito mais!

Façam amor e links por favor, o mundo será um sitio muito melhor.

E assim de repente…

Acho que para hoje já chega… já deixo aqui 3 coisitas para irem pensando e a preparar o caminho para outros artigos, daqueles estruturados e tal. Ou não. Logo se vê.

Agora como de costume, ai e tal, deixem comentários aqui ou nas redes onde ainda ando… ups.. afinal… bolas.

Ok, fica o desafio. Passem numa qualquer loja, comprem um postal e enviem com os vossos comentários para:

ActiveMedia

A/C Jorge Oliveira

Rua Filipe Folque, 2 – 1º Esq.

1050-113 Lisboa

Se pensarem que não chega um postal e que querem adicionar uma garrafa de vinho, um vinil ou um pacote de café em grão e aparecer presencialmente para dois dedos de conversa, olha, apareçam.

Se na dúvida quiserem trazer as 3 coisas também não me aborreço.

Abracinhos e até logo

Photo by Aman Shrestha on Unsplash

p.s – afinal sempre tive que fazer um link mas é porque tenho que dar os devidos créditos a quem tirou a fotografia de destaque.

2 thoughts on “Um post livre… ou o mais livre que pode ser”

  1. Carlos (Kiko)

    Consigo imaginar claramente o cenário onde estavas quando decidiste escrever este post. Eram já umas 18h da tarde, talvez a tocar um free style Jazz (barulho) e decides, vou escrever umas [email protected] Tenho que passar por aí um dia destes, quando for à capital. Fico contente que os anos passam mas há coisas que ficam na mesma, e muito bem. Um grande abraço Jorge.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top