You Spin Me Round – ou vamos lá falar sobre economia circular

You spin me right ‘round, baby
Right ‘round like a record, baby
Right ‘round, ‘round, ‘round
You spin me right ‘round, baby
Right ‘round like a record, baby
Right ‘round, ‘round, ‘round
A música pertence ao grupo Dead or Alive e foi o que “tocou” na minha cabeça quando li a expressão economia circular. Para que possa dançar enquanto lê este artigo, aqui fica o vídeo.

O que é a economia circular?

A economia circular assenta em pilares que executam o movimento “re”, ou “voltar a”. Que pilares são esses? Reduzir, reparar, reutilizar, recuperar e reciclar. Estes cinco verbos, estes cinco movimentos, parecem-me basilares para compreender a economia circular – e para a praticar.
Vamos à definição disponibilizada pelo Parlamento Europeu:

A economia circular é um modelo de produção e de consumo que envolve a partilha, o aluguer, a reutilização, a reparação, a renovação e a reciclagem de materiais e produtos existentes, enquanto possível. Desta forma, o ciclo de vida dos produtos é alargado.

Na prática, a economia circular implica a redução do desperdício ou dos resíduos ao mínimo. Quando um produto chega ao fim do seu ciclo de vida, os seus materiais são mantidos dentro da economia sempre que possível, podendo ser utilizados uma e outra vez, o que permite assim criar mais valor.

 

You Spin Me Round - ou vamos lá falar sobre economia circular 3

Usar e não deitar fora

O descartável não é sustentável – rima e é uma verdade muito cruel. Habituamo-nos ao “usar e deitar fora” e este gesto multiplicado por cada um dos humanos que habita o planeta Terra está a transformá-lo numa enorme lixeira.

A economia circular surge como uma alternativa a este ciclo linear dos produtos que são descartados quando o seu ciclo de vida chega ao fim. E se dermos uma nova vida a esse produto? Isto implicará uma diminuição de consumo e um novo entendimento e prática em torno dos processos de produção.

Na prática, podemos preparar a nossa refeição com cogumelos gerados a partir do aproveitamento de borras de café. Ou usar uns ténis feitos com plástico recolhido dos oceanos. Soa-lhe bem a ideia de plantar um papel ou um folheto? E se puder contribuir para evitar o desperdício alimentar? Ah, e aquelas calças de ganga que podem voltar à vida como um saco das compras?

O website Economia Circular apresenta inúmero exemplos que nos podem inspirar na hora de tomar decisões no momento da compra. Um pequeno gesto, multiplicado por outro e mais outro e mais outro fará a diferença.

 

You Spin Me Round - ou vamos lá falar sobre economia circular 4

Benefícios da economia circular

Passemos a palavra aos senhores do Parlamento Europeu, para que expliquem os benefícios da economia circular:

Medidas para a prevenção de resíduos e para a promoção de uma conceção ecológica ou da reutilização podem significar poupanças para as empresas europeias, permitindo ao mesmo uma redução das emissões anuais totais de gases com efeito de estufa. Atualmente, a produção de materiais de uso quotidiano é responsável por 45% das emissões de CO2.

mudança para uma economia circular pode ainda trazer benefícios como: a redução da pressão sob o ambiente; maior segurança no aprovisionamento de matérias-primas; aumento da competitividade; promoção da inovação; o estímulo ao crescimento económico (um aumento adicional em 0,5% do PIB da UE); e, a criação de empregos (cerca de 700 000 postos de trabalho na UE até 2030).

A economia circular também pode fornecer aos consumidores produtos mais duradouros ​​e inovadores, com vista a melhorar a qualidade de vida e permitir-lhes poupar dinheiro a longo prazo.

 

Exemplos de economia circular

There should be no end of life of anything. Nothing should just sit in landfill.
Esta é uma afirmação de Rose Marcario, CEO da Patagonia, que alerta para os custos da fast fashion, do ponto de vista das marcas:
We don’t have to all reinvent the wheel, but brands that don’t face these realities of the true cost of apparel and fast fashion, I think they will be left behind.
No website da Samsung Portugal encontramos uma descrição detalhada da forma como a marca abraçou a economia circular.

A Samsung Electronics está a afastar-se da estrutura anterior de consumo de recursos, onde os recursos eram descartados após um único uso, e a procurar várias atividades que consideram a reciclagem em circuito fechado, que recupera, recicla e reutiliza os recursos usados. Como parte do nosso esforço para estabelecer uma estrutura social de reciclagem de recursos, primeiro analisamos a composição dos nossos principais produtos e re-analisamos de diferentes ângulos o impacto que cada substância tem na segurança da cadeia de fornecimento, no ambiente, na sociedade e na economia.

Em conversa com a Sandra Estevam e o Jorge Oliveira, a Sandra partilhou esta ideia de economia circular:
No caso das empresas que trabalham na área digital, como a nossa, estava a ver mais a coisa pelo ponto de vista da  boa gestão das ferramentas digitais, o que permite que haja reaproveitamento da informação e trabalho colaborativo.
Iremos voltar a este assunto, da economia circular e do trabalho colaborativo, aqui no Journal.

1 thought on “You Spin Me Round – ou vamos lá falar sobre economia circular”

  1. Pingback: Recomendar e comprar a quem nos compra algo - outra forma de economia circular? [ Blog da ActiveMedia ]

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top