Pixel ID
Written by Jorge Oliveira / 17.12.2019

Desejo que sejam tendências no Web Design 2020

Não é propriamente sobre tendências no web design, mas sobre coisas que já deviam ser e ainda estão por ser assumidas. São desejos para as tendências em 2020, um resolver as bases antes de olharmos para as muitas visões de futuro.

Vejam isto como uma espécie de check-list que deve acompanhar o desenvolvimento ou melhoria de qualquer web site para o ano que agora começa.

via GIPHY

1 : Sliders vs Hierarquia de informação

É uma das funcionalidades que espero venha a morrer de vez. A construção de um bom site deve ter em atenção a hierarquia de informação, ou seja, o que é mais importante que tudo o resto e que não pode mesmo escapar à atenção do visitante.

O que fazemos, em que podemos ajudar, uma boa razão para continuar a visita …

Os sliders apareceram, em muitos casos, para resolver questões políticas ou de falta de decisão. É tudo importante? Fazemos um slider e o utilizador que escolha. Ou não escolhe… e nem sequer chega ao fim.

Quando tudo é importante, nada é importante! Passa a ser apenas ruído e indecisão

2 : Image bank vs Fotografias reais

Há um divertimento na nossa equipa que passa pela identificação da nossa modelo nas mais diversas peças de comunicação. Já a usámos e já a vimos como dentista, vendedora de fruta, e mais qualquer coisa, e não só em Portugal.

Mil vezes uma imagem real, da equipa, do espaço, das nossas coisas, … são elementos que quem nos visita reconhece e com quem cria empatia, não falha. Perguntem ao meu gatinho azul.

Em alternativa, nada como encomendar boas ilustrações e resolver a ausência de material “fotografável”. Deixar de usar imagens de stock deve ser mesmo a maior das tendências no web design, pelo menos nos conteúdos mais fundamentais.

3 : Links na mesma tab vs Links noutra tab

Sei que pode levantar muita discordância, mas se tenho um link externo no meu site, devo dar ordem para ele abrir numa nova tab: o visitante não perde o ponto de origem, pode querer abrir para ler mais tarde, quer ir e voltar, e ter uma experiência simplificada.

tabs tendências na web 2020 activemedia

as tabs são como marcadores nos livros

Felizmente já começa a ser norma e usual este abrir em nova tab, especialmente em sites de pesquisa intensiva como sejam imobiliárias, férias, etc. E ainda bem, é uma tendência que se deseja.

4 : Ausência de links vs Links, links, links

Por falar de links… bem sabemos como muitos sites morrem de medo dos links. É uma espécie de kripnotite que os pode matar. Vale sempre a pena recordar que é uma das bases da internet… a hiperligação entre repositórios e conteúdos.

Ter links tem inúmeras vantagens, e uma delas é dar mais conteúdo ao visitante, desde que bem orientado e contextual, para que cada clique possa valer a pena.

Os cliques não se gastam, e se forem bem dados, reforçam a experiência.

5 : Navegação em estrela vs Navegação orgânica

Ainda há quem imagine o site como uma espécie de livro, onde a homepage corresponde ao ponto de partida e regresso obrigatório. Mas lá por tecnicamente a homepage se chamar index, não quer dizer que tenha que o ser…

A navegação deve ser orgânica e em cada página temos que encontrar motivos para mais um clique e continuar no site. É como criar um caminho interminável, de relação entre as várias páginas ou conteúdos e levar a novas descobertas.

As receitas têm ingredientes, estas têm nutrientes, ou agrupam-se por tipos de refeição, ou são de determinado chef, … tudo boas ancoras para saltar entre páginas.

Além disso, nunca sabemos por que página entrou o nosso visitante, depois de determinada pesquisa. E por isso, cada página deve ser interessante em conteúdo e links para proporcionar uma boa visita.

6 : Organização interna vs Arquitectura de Informação

Já chega de organizar os sites em função dos desejos ou da organização interna. Quem está de fora não reconhece a estrutura, a organização, a dinâmica, e vai andar aos apalpões até encontrar o que procura.

organizacao interna tendencias no web design activemedia

quando só nós sabemos o que está ali…

Criar uma arquitectura de informação adequada aos comportamentos e conhecimento do visitante é fundamental para uma boa experiência de uso. É mais curta? Melhor. É mais simples? Óptimo. De certeza que aquele menu é importante? É perguntar ao Google Analytics.

7 : Repositórios de PDF’s vs Boas páginas de conteúdos

Tudo o que é em excesso faz mal. Seja no que for. Na comida, na bebida, no exercício, na publicação de PDF’s uns atrás dos outros quando o que se devia ter feito era uma boa página de conteúdos.

Basta que pensem na experiência em mobile. Vamos mesmo andar a fazer download de PDF’s para termos a informação necessária? Pensem novamente… não pois não?

Então vamos criar um mantra… de cada vez que publicar um pdf desnecessário … (preencher com uma praga bíblica).

8 : Inventar a roda vs Adaptar a roda

Há coisas onde devemos inventar e inovar, e há outras onde nos devemos colocar nos ombros de terceiros e crescer a partir daí.

Se já existem plataformas de gestão de conteúdos como o WordPress, com todas as suas capacidades, para quê insistir em ter um gestor de conteúdos próprio e à medida? Se já existem plataformas de lojas online como Shopify, para quê perder tempo a configurar uma através doutras soluções?

Excepto, claro está, se estamos a inovar e a criar algo de novo. Aí é mais que justificado que se desenvolva algo à medida. As soluções na cloud “As a Service” já foram uma das grandes tendências no web design mas parece que as boas ainda custam a entrar no radar.

Mas atenção… um site é uma coisa diferente de outra coisa. 🙂

9 : Isto também suporta um site vs Site é um site

Há um conjunto de aplicações online, muito especificas para certas áreas de negócio, que até parece que são um site: plataformas de agendamento de viagens, ou de imobiliário, ou de suporte ao negócio.

Até suportam a criação de páginas de conteúdo, de uma homepage, eventualmente de áreas tipo blog, mas não são um site, são outra coisa.

Então o que fazer? Instalem essas plataformas num sub-domínio, ou num directório, permitindo a criação de um site no domínio principal, onde podemos trabalhar o design e acima de tudo os conteúdos, sem restrições ou limitações.

Por exemplo, posso alojar o site em www.omeunegócio.pt e depois ter loja.omeunegócio.pt. Desta forma temos o melhor dos dois mundos e o trabalho sobre um não tem implicações sobre o trabalho do outro. Deveria ser uma das tendências no web design mais fortes para este ano.

10 : SEO Pago vs SEO Orgânico

Não é que um invalide o outro, mas o pago só deve existir depois de ser feito o orgânico. E nunca vice-versa. Vou explicar.

O SEO Orgânico significa que ainda antes de começar a desenhar o site, devemos pensar na forma como queremos ser encontrados: que expressões, que temas, que negócios. Depois disso, trabalhamos os conteúdos e toda a estrutura do site: títulos, descrições, expressões e seus sinónimos, etc, etc. Instalamos Analytics e Search Console e activamos uma ferramenta de análise e avaliação de SEO.

Claro que o orgânico leva tempo a propagar, a que os motores de pesquisa nos reconheçam como válidos e interessantes na nossa área. É por isso que temos que investir no SEO Pago, ou seja, em campanhas de anúncios e de pesquisa, em landing pages específicas, em plataformas de marketing automation e lead nurturing, em tudo aquilo que nos traga visitas e potencialmente negócio.

Uma casa sem fundações é acidente em curso.

Felizmente que o trabalho sobre o SEO já está no radar de muitas marcas e quase podíamos pensar que já não estaria na lista de tendências no web design por ser tão falado, mas chego a pensar que em muitos casos é como o sexo na adolescência… muito se fala, pouco se pratica.

Em resumo

Esta é a nossa lista de desejos para as tendências no web design para 2020. Mas não julguem que somos contra o novo, muito pelo contrário.

Adoramos tendências, perceber movimentos e novas formas de fazer, novas abordagens, disruptivas mas bem aplicadas.

Mas gostava muito mais de chegar ao final de 2020 e conseguir apagar esta lista e ter a sorte de considerar que todos os meus desejos foram atendidos. 🙂

Tendências no Web Design 2020

Para continuar a partir daqui, deixo alguns links para as primeiras tendências no web design que já foram saindo e que recomendamos a leitura crítica e atenta:

Depois podem partilhar, comentar ou entrar em modo conversa … nos comentários, nas redes, por email, no chat, … Até já 🙂

Follow me!

Tópicos deste artigo