Pixel ID
Question Everything .is/listening
Written by Sandra Estevam / 13.02.2019

O que é UX Writing e porque é tão importante para nós

Tal como o UX Design o UX Writing tem como objectivo criar uma melhor experiência do utilizador, guiando-o quando navega num interface (site, app, loja ou blog) da forma mais intuitiva e simples possível.

Há designers que por terem também alguma apetência natural para a escrita, ou então por terem muita prática e conhecerem as melhores práticas do métier, conseguem fazer um bom trabalho de UX Writing, mas é uma sobrecarga e pode de alguma forma limitar-lhe a procura de melhores soluções.

Da nossa experiência de vários projetos digitais em que temos estado envolvidos nos últimos anos, ter um UX Writer a trabalhar diretamente com o UX Designer é uma vantagem quer para a optimização do fluxo de trabalho, quer para o resultado final que entregamos ao cliente.

 

As palavras são a cola que faz com que tudo faça sentido.

De fio a pavio

Trabalhar a organização dos conteúdos numa fase inicial do projeto e em colaboração estreita, também permite antecipar alguns problemas de conteúdo que podem ser resolvidos no e pelo design e vice-versa.

Existem algumas regras, que no fundo não são do que boas práticas da escrita, mas aplicadas à comunicação digital, que tentamos seguir e que aqui tentámos embrulhar em forma de lista:

 

Ser inclusivos

Quando trabalhamos em UX Writing também temos de pensar de forma inclusiva, sem alienar nenhum grupo de utilizadores que sejam importantes para o nosso produto ou serviço, quer tenham diferenças culturais, sociais ou linguísticas.

 

Ser conciso

Quando estamos a meio de uma tarefa não queremos ter de “parar” para a compreender, logo economize nas palavras, mas faça-se entender à primeira. Não poupe uma palavra se esta ajudar na compreensão da tarefa, mas não a gaste se não for absolutamente necessária.

 

If I had more time, I would have written a shorter letter. Mark Twain

 

Hierarquia de informação

A maior parte das pessoas “lê na diagonal”, ou seja passa os olhos pela informação para tentar achar o que lhe parece importante reter, parando nas palavras-chave – logo aprenda a hierarquizar – coloque primeiro ou com maior destaque o que é mais importante.

 

Fugir do “linguajar” técnico

É importante tentar ser claro com o maior número possível de utilizadores. Evite usar palavras técnica e de “sistema”, que apenas meia dúzia de pessoas compreendem. Claro que os developers da sua empresa iam achar o máximo 😉

 

Criar uma narrativa coesa

Uma marca tem uma personalidade e essa personalidade conta uma estória. Tentar não contar uma estória diferente em cada plataforma ou ponto de contacto faz com que o utilizador não se sinta perdido ou distanciado. Use a voz da marca para que o utilizador saiba com quem está a falar.

Requer tempo e esforço, mas merece bem a pena!