Pixel ID
Question Everything .is/listening
Written by Jorge Oliveira / 08.05.2018

Futuro da Internet e a IAM Barcelona 2018

Alone together

Futuro da internet

Todos os dias discutimos o futuro, o futuro da internet é apenas uma das vertentes. Mas no início da IAM 18, ficou logo claro que não há um futuro. Há uma multiplicidade de futuros possíveis e que todos eles se cruzam e se tornam dependentes. E que os devemos encarar sempre como plurais, para serem inclusivos.

Não perguntemos pelo futuro, perguntemos pelos Futuros!

O futuro da internet está intrinsecamente ligado com o futuro da sociedade e da humanidade. Vamos de uma vez por todas deixar de lado a separação entre digital e real. Ambos são reais, ambos existem, ambos fazem parte da mesma identidade, ambos fazem parte do mesmo mundo.

E se acham que não, porque é que ficou tudo em pânico com o uso indevido dos nossos dados por parte de estranhos? Ainda por cima com dados que nem tinhamos bem consciência que existiam? Mas existem e fazem parte de nós, por isso são importantes.

Ficou também clara a noção de que a internet deve ser encarada como um direito básico e que a literacia digital é tão importante como a educação tradicional.

Sabemos ler, sabemos escrever, sabemos fazer contas… sabemos “internet”? Nem todos. Mas está na altura de sabermos, para podermos discordar e debater de forma séria o futuro da internet e consequentemente o nosso futuro enquanto sociedade.

Olhamos em volta e percebemos que as piores distopias servem de road map para uma nova construção social.

Eu confesso o meu fascinio por distopias, mas apenas enquanto expressão artística: filmes, livros, música, … Na construção de uma sociedade futurista temos que recordar outros valores e outras abordagens, mais consistentes com um futuro sustentável, inclusivo e diverso.

Podemos começar por pequenas coisas. Mudar expressões, descolonizar a nossa mente, abrir para novos paradigmas…

Internet of Beings, Shared Reality, Collaborative learning, Human Experience… the Plurality is here!

 

We are responsible

Pegando nisto tudo, e sendo nós agentes activos no “digital”, só podemos assumir a nossa responsabilidade na construção de um futuro que sendo tecnológico não tenha os erros das distopias, sendo digital seja inclusivo, sendo pessoal possa ser privado e ao mesmo tempo comunitário, seja global mas também local, seja novo mas inter-geracional, seja util em contexto mas sem comprometer a nossa individualidade.

Não há um futuro, há muitos, e como dizia o amigo Yoda “always in motion the future is”, e a partir de hoje faz parte do nosso trabalho diário criar e desenvolver projectos que sejam consistentes com a visão destes futuros.

p.s – se quiserem conversar um pouco mais sobre isto tudo e outras epifanias que sinto que andam a saltar aos olhos de muitos, é dizerem olá e conversamos.

p.s 2 – se passarem pelo Twitter procurem a hashtag #iamw18 e sigam os links.

p.s 3 – por tudo isto e mais algumas coisas, descobri e assinei a Carta de Copenhaga, e desafio-vos a fazerem o mesmo.

p.s 4 – vemo-nos lá para o ano? Sem medos, somos todos familia! 😉

Follow me!

Tópicos deste artigo